Deputado Aluisio Lessa participa da moagem da Usina Pumaty

O Deputado Aluísio Lessa esteve hoje na Usina Agrocan/Pumaty, no Município de Joaquim Nabuco, com a presença do Governador Paulo Câmara, para acompanhar o início da moagem da safra 2017/2018, que vai gerar mais de 5.000 empregos na região e beneficiar milhares de famílias. Um passo muito importante para a economia do Estado. Vamos continuar trabalhando para mais realizações como essa. A Usina estava fechada e nós trabalhamos duro para vê-la reaberta, recuperando cerca de cinco mil empregos que estavam perdidos e movimentando aproximadamente R$ 150 milhões por ano na economia da Zona da Mata. Isso foi possível graças a nosso programa de incentivos fiscais a usinas em inativas e que estejam arrendadas a cooperativas de produtores de cana-de-açúcar.
Felicidade imensa de ir hoje à Usina Pumaty, no município de Joaquim Nabuco, celebrar o início da moagem da safra 2017/2018. A Usina estava fechada e nós trabalhamos duro para vê-la reaberta, recuperando cerca de cinco mil empregos que estavam perdidos e movimentando aproximadamente R$ 150 milhões por ano na economia da Zona da Mata. Isso foi possível graças a nosso programa de incentivos fiscais a usinas em inativas e que estejam arrendadas a cooperativas de produtores de cana-de-açúcar.
O que nós estamos vendo, hoje, é a consequência do nosso trabalho, da nossa parceria e, acima de tudo, do esforço de muita gente que tem compromisso com a região, com Pernambuco e com o desenvolvimento das pessoas. E eu fico feliz em saber que a usina Pumaty, por mais um ano, vai poder iniciar essa moagem, gerando emprego e renda, e, ao mesmo tempo, mantendo as tradições de Pernambuco ser um grande produtor de açúcar e álcool. Pumaty é uma usina que tem história, tradição e tem muito ainda o que produzir em favor de Pernambuco e do povo da Mata Sul.
Visando contribuir para a retomada das atividades do setor, que emprega milhares de pernambucanos e impulsiona significativamente a economia da Zona da Mata, o Governo de Pernambuco concedeu, em 2015, benefício fiscal nas operações com Álcool Etílico Hidratado Combustível (AEHC). A medida proporcionou uma redução de 50% na carga tributária para usinas em Recuperação Judicial inativas há mais de um ano e que estejam arrendadas a cooperativas de produtores de cana-de-açúcar.

Através desta ação, foi possível a retomada da produção em duas grandes usinas da Zona da Mata: Cruangi (Mata Norte) e Pumaty (Mata Sul), que se encontravam paralisadas e em processo de recuperação judicial, através de arrendamento as Cooperativas de Produtores de Cana, COAF e AGROCAN, respectivamente, e, como forma de soerguimento do setor sucroalcoleiro, apoiada pelo Governo do Estado. O setor também foi beneficiado com a alteração das alíquotas do ICMS do álcool, reduzidas de 25% para 23%. Em média, o faturamento do setor é de R$ 2,4 bilhões anuais, dos quais aproximadamente R$ 552 milhões são arrecadados para o Estado por meio do ICMS.
CENÁRIO – Atualmente, Pernambuco é o segundo maior produtor de cana-de-açúcar do Nordeste, com uma produção média estimada em 12 milhões de toneladas/ano, gerando cerca de 265 mil empregos diretos e indiretos. O Estado contabiliza, hoje, 13 usinas em operação. A Zona da Mata é a maior produtora de Pernambuco. No total, são 25 cidades que têm na indústria sucroalcooleira a sua principal atividade. De acordo com informações do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar), na safra 2015/2016, a produção chegou a 11 milhões de toneladas. Foram 353.145 m³ de etanol e 809.527 toneladas de açúcar.

n