Asas FM 91.1 Paróquia de Belo Jardim monta Santa Ceia com políticos e causa polêmica – A Voz do povo

Paróquia de Belo Jardim monta Santa Ceia com políticos e causa polêmica

A paróquia Nossa Senhora da Conceição, no município de Belo Jardim- PE, comandada pelo Padre Geraldo Magela,  dividiu opiniões na cidade e gerou críticas na comunidade católica,ao convidar para encenação da Santa Ceia, em plena missa, políticos representando o simbolismo religioso, inclusive dois pré candidatos a prefeito da oposição, nas eleições de 2020.

Nas redes sociais, as críticas são intensas, indo, da falta de respeito a liturgia da igreja até a credibilidade de alguns políticos.

Pressionada pela negatividade dos fatos, a igreja divulgou a seguinte nota:

Todos os anos na Solenidade da Ceia do Senhor (Quinta-feira Santa), são convidadas pessoas para que o sacerdote lave os seus pés, em memória do que Jesus fez com os seus apóstolos em sua Última Ceia.

Nesta última Quinta-feira Santa, 18/04, a Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição convidou homens públicos para participarem deste momento, motivados pela Campanha da Fraternidade 2019, que tem enfoque em Políticas Públicas.

O texto-base da CF, chama a atenção para o fato de que falar de “Políticas Públicas” não é falar de “política” ou de “eleições”, mas significa se referir a um conjunto de ações a serem implementadas pelos gestores públicos, com vistas a promover o bem comum, na perspectiva dos mais pobres da sociedade.

É necessário avaliarmos e distinguirmos “Políticas Públicas” de “partidarismo”, e percerbermos que o próprio texto-base da Campanha da Fraternidade afirma que “estimular a participação em políticas públicas, à luz da Palavra de Deus para fortalecer a cidadania e o bem comum” são sinais de Fraternidade.

O texto-base continua a dizer que “Refletir sobre Políticas Públicas é importante para entender a maneira pela qual elas atingem a vida cotidiana, o que pode ser feito para melhor formatá-las e quais as possibilidades de se aprimorar sua fiscalização”, diante disso, se bem interpretarmos a proposta da CNBB, observamos que convidar pessoas públicas para momentos como esse, trata-se apenas de uma das práticas para introduzirmos essa Campanha da Fraternidade na vivência da Semana Santa, e que de forma alguma tem por objetivo “usar o templo sagrado para a exploração política”: É justamente isso que essa Campanha da Fraternidade procura combater, por meio de um diálogo efetivo com lideranças públicas e os mais diversos setores da sociedade.
Motivados pela Campanha da Fraternidade, pedimos a Deus que ilumine os nossos governantes, as pessoas públicas, as lideranças governamentais, sociais e pastorais, para que possam sempre iluminados pelos valores do Evangelho, favorecerem a sociedade e os mais necessitados. “Jesus nos ensina a sermos Evangelho vivo, que caminha em especial ao encontro dos quais mais necessitam. Somos despertados a acolher e a proporcionar uma renovação que leve a pessoa a uma verdadeira conversão”.

Que Deus nos abençoe neste momento em que aguardamos ansiosamente a sua Ressurreição.